• Kelly V. Giudici

Saindo da zona de conforto alimentar


Não há nada de errado em buscar prazer na alimentação. Quem lê o NutS sabe que aqui, aliás, prezamos muito por isso! Explicamos como dietas restritivas não favorecem a perda de peso e frequentemente estimulamos a liberdade para que os mais diversos alimentos e sabores façam parte da dieta de cada um.


A comida é, inclusive, fonte de aconchego mental e conforto, que se bem administrados, só trazem benefícios. O problema é quando nos vemos prisioneiros desta zona de conforto alimentar, o que, em outras palavras, pode ser encarado como uma alta seletividade por alimentos.



Estar sempre acostumado a comer os mesmos alimentos e/ou poucas variações de suas preparações restringe um universo de possibilidades que facilitariam consideravelmente a mudança de hábitos alimentares, seja ela ligada ao objetivo que for. É realmente mais complicado, por exemplo, se tornar vegetariano caso você automaticamente torça o nariz para todo e qualquer legume e verdura. Assim como será trabalhoso perder peso para quem leva uma vida restrita a refrigerante, hambúrguer, pizza e batata frita.


O tema da seletividade alimentar na vida adulta já foi abordado por aqui, e hoje trazemos mais dicas práticas para ajudar, gradativamente, a ampliar seus horizontes alimentares. Muitas pessoas vêm ao consultório de nutricionistas dispostas a fazer mudanças em sua rotina alimentar, mas não percebem que, ao chegarem presos a uma seleta gama de possibilidades, tornam o processo bem mais lento e difícil. A boa notícia é que, em muitos casos, a seletividade não é tão intensa, e pode ser trabalhada de maneira simples.


Quanto maior for a aceitação por alimentos variados, mais simples será deixar velhos hábitos e construir novos. E isso você pode começar a exercitar desde já!



Saia do piloto automático na hora de montar seu prato. Avalie todas as preparações disponíveis, para então começar a se servir.


• Coloque no prato um novo alimento que geralmente não costuma comer. Não é preciso comer uma grande quantidade, mas sim deixlo entrar na sua refeição. Uma colher de sopa já está de bom tamanho! Deguste-o individualmente, e também misturando-o aos outros alimentos do seu prato, para testar como o sabor muda, e como você gosta mais.


• Depois de exercitar a inclusão de alimentos que “chegam até você naturalmente” (que já estão disponíveis na sua casa ou que foram servidos à mesa por quem preparou a refeição), é hora de buscar novos alimentos por conta própria! Na feira ou no mercado, escolha uma fruta e um legume ou verdura que você não costuma consumir, e dê uma chance a eles.


• Se necessário, varie as preparações e receitas, mas comprometa-se a consumir tudo o que foi comprado.


• Na próxima vez que for às compras, mude o alvo, dando chance a um novo alimento. E, claro, incorpore na sua alimentação aqueles que “passarem no teste”!


• Aventure-se mais na cozinha. Mesmo quem já sabe cozinhar muitas vezes tende a cair na mesmice, e a preparar as mesmas refeições de sempre. Explore receitas de família e/ou teste receitas disponíveis na internet (há muitas receitas fáceis aqui no NutS!). Preparar suas próprias refeições pode ser um incentivo adicional para testar novos ingredientes.

Posts recentes

Ver tudo
Últimos posts
Tags