Fim de ano indigesto? Nunca mais!

27/12/2017

O fim do ano é uma época muito aguardada por ser recheada de festas e comemorações. Mas muitas vezes esse período pode virar um pesadelo, quando os excessos levam a quadros de má digestão, azia, refluxo, distensão abdominal e um bando de outros sintomas estraga-prazeres.

 

Então, caso neste Natal você já tenha sentido os efeitos da “fartura”, aqui vão algumas dicas para não entrar em 2018 passando mal mais uma vez.

 

Para não se arrepender depois...

 

● Evite se alimentar em excesso, pois isso sobrecarrega a digestão. O ideal é parar de comer quando sentir que a fome cessou, mas ainda está sobrando um espacinho para um pouco mais. Para isso funcionar, a dica é fracionar sua alimentação diária e comer mais vezes, porém em quantidades menores por refeição.

 

●Coma devagar, saboreando os alimentos e mastigando tudo muito bem antes de engolir, para facilitar o trabalho do seu estômago, que já receberá tudo triturado. Além disso, a digestão será mais eficiente, pois as enzimas digestivas contidas na nossa saliva terão mais tempo para agir e começar a digerir os alimentos ali mesmo.

 

● Evite a ingestão excessiva de líquidos durante as refeições, pois isso pode dificultar sua digestão.

 

● Ao se alimentar, mantenha sempre uma boa postura, com as costas eretas, para que o abdome e os órgãos do sistema digestivo fiquem livres de compressão, evitando assim uma possível indigestão.

 

● Caso esteja conversando enquanto come, faça uma atividade de cada vez. Falar e engolir ao mesmo tempo pode favorecer a deglutição de ar junto aos alimentos, o que levará a um quadro nada agradável e, muitas vezes bem dolorido, de flatulência e/ou arrotos.

 

●Diminua a ingestão de alimentos processados ou industrializados, pois eles contêm muitos aditivos (corantes, conservantes e outros bichos, ou melhor, outros químicos), que não são nada amigáveis para o nosso corpo e podem sobrecarregar nosso sistema digestivo.

 

●Evite alimentos e preparações ricas em gordura, pois esse nutriente retarda o esvaziamento gástrico e torna a digestão mais lenta e difícil.

 

● Após comer, nada de praticar atividades físicas exaustivas. Seu corpo precisa de um tempinho para realizar a digestão, pois esse é um trabalho árduo! Descanse, mas evite a posição deitada para não causar refluxo, azia e/ou indigestão. Uma alternativa para auxiliar o processo digestivo é realizar uma caminhada leve após a refeição.

 

● Fique atento aos sinais do seu corpo. Após se alimentar, perceba quais alimentos provocam desconforto digestivo (azia, indigestão, flatulência, dor abdominal, cólica intestinal, constipação ou diarreia) e evite o consumo desses alimentos por algum tempo. Caso os sintomas cessem, talvez seja o caso de excluir este alimento de vez da sua dieta ou procurar alternativas que possam tornar seu consumo mais seguro. Caso precise de ajuda, procure um nutricionista.

 

● O cigarro, a cafeína e alimentos como pimentas, refrigerantes e bebidas alcoólicas têm potencial para irritar a mucosa do estômago e devem ser evitados em casos de desconforto gástrico, para preservar a saúde do órgão e evitar o surgimento de doenças mais graves.

 

● À noite, consuma apenas alimentos e preparações leves, pois a digestão deve ocorrer antes de você ir para a cama.

 

Não resistiu e exagerou?

 

Caso tenha esquecido ou não tenha conseguido seguir as dicas anteriores e está experimentando sensações desagradáveis após comer, não se desespere! Talvez ainda haja tempo de controlar a situação. A seguir, algumas opções de alimentos que podem dar um “up” na sua digestão:
 

 

●Ameixa: é rica em fibras e em determinados ácidos que facilitam a digestão e apresentam ação laxativa, melhorando o trânsito intestinal. Pode ser consumida in natura ou desidratada.

 

●Abacaxi: possui uma enzima chamada bromelina, que atua digerindo proteínas e gorduras. Esta fruta também contém celulose, uma fibra insolúvel importante para o bom funcionamento do intestino. Pode ser consumida in natura ou como ingrediente de sucos.

 

● Outras frutas cítricas: a laranja, por exemplo, e a tangerina ou mexerica também favorecem a digestão e são frequentemente as sobremesas preferidas após refeições mais "pesadas". Possuem também fibras, que dão uma forcinha para o intestino e devem ser consumidas preferencialmente in natura e com bagaço.

 

● Mamão: assim como o abacaxi, o mamão possui uma poderosa enzima digestiva, a papaína. Além disso, possui ação laxativa por ser rico em fibras e água. Pode ser consumido in natura ou como ingrediente de sucos e vitaminas.

 

● Maçã: rica em pectina, que promove o aumento do teor de bactérias boas no intestino, facilitando a decomposição dos alimentos e melhorando o trânsito intestinal. Deve ser consumida com a casca, já que esta é a parte da fruta que contém a fibra responsável pelos benefícios ao sistema digestivo.

 

● Gengibre: apresenta propriedades digestivas e anti-inflamatórias,o que auxilia no alívio dos sintomas como náuseas e azia. Esta raiz é bastante versátil e pode ser consumida na forma de chás ou como ingrediente de sucos, sopas e diversas outras preparações.

 

● Chás: infusões com alecrim, boldo, camomila, carqueja, chá verde, espinheira santa, erva cidreira, erva doce, hortelã e menta são ótimas opções para estimular a digestão. Para a maioria dessas ervas, cerca de uma colher de sopa rasa é suficiente para o preparo do chá, que deve ser consumido antes ou após as refeições.

 

​● Iogurtes: possuem probióticos ou bactérias do bem, que auxiliam na digestão da lactose do leite e derivados, além de contribuir para o equilíbrio da flora intestinal. Isso ajuda a prevenir a proliferação e colonização do intestino por bactérias causadoras de doenças. Para o consumo, prefira as versões de iogurtes com baixo teor de gordura e açúcares.

 

● Fibras solúveis e insolúveis: alimentam nossas bactérias boas e colocam nosso intestino para funcionar, respectivamente. As fibras retardam o esvaziamento gástrico, aumentando a saciedade. E, apesar de tornar o processo digestivo mais lento, as fibras ajudam a manter os alimentos em movimento através do trato gastrointestinal e a prevenir algumas doenças. Suas fontes incluem frutas, legumes e hortaliças crus, leguminosas, grãos, farelos e cereais integrais, nozes e sementes.

 

● Água: essencial para os processos digestivos (e para todos os processos do nosso corpo). Deve ser consumida sem moderação, principalmente quando há o consumo de fibras, para que estas possam desempenhar seu papel em nosso organismo.

 

Use e abuse dessas dicas, não só na virada, mas também ao longo do ano. Assim, você manterá a consciência leve e a digestão a todo vapor sempre!  E que venha 2018, recheado de renovação, equilíbrio e saúde! Tin tin!
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Últimos posts

Saudades de um pão de queijo

September 23, 2020

1/10
Please reload

Tags
Please reload

Posts relacionados
Please reload

Comentários
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.