• Clarissa T. H. Fujiwara

Raio-X do Alimento: Jabuticaba

Trazemos como protagonista no post de hoje, a jabuticaba (Myrciaria cauliflora), que se apresenta como um fruto nativo do território brasileiro, proveniente do bioma da Mata Atlântica. A jabuticaba consiste numa fruta que já até deu nome à cidade de Jaboticabal, localizada no interior do Estado de São Paulo, em homenagem à planta e, inclusive, virou um termo empregado para se referir - de maneira frequentemente pejorativa - a circunstâncias e situações que existiriam somente no Brasil.



Os frutos da jabuticabeira - uma árvore que pode atingir até dez metros de altura - possuem um aspecto físico bastante característico, contando com dimensões de aproximadamente 3 a 4 centímetros de diâmetro. No aspecto visual, trazem consigo externamente a casca de coloração roxa bastante intensa ao passo que a polpa no seu interior possui cor esbranquiçada. Paralelamente, quando na boca, a jabuticaba propicia ao paladar um sabor adocicado ligeiramente ácido. A seguir, conseguimos observar na tabela a composição nutricional da jabuticaba na porção de 100g da fruta - apenas para ilustrar, estima-se que 1 unidade de jabuticaba pese cerca de 7g:

Fonte: Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO)

Podemos visualizar que para 100g, a jabuticaba é um fruto de relativamente baixo valor calórico contando com 58 kcal, advindos sobretudo da frutose, carboidrato que perfaz 15,3 g da composição. Assim como a maioria de outras frutas, o teor proteico e de gorduras é proporcionalmente pequeno.

Em relação às fibras alimentares - elemento que promove maior saciedade, controle glicêmico, além de fundamental não somente para garantir o funcionamento do intestino em ordem, mas cuidar da saúde da microbiota intestinal - apresenta quase 8% das necessidades diárias, contendo 2,3g de fibras insolúveis e solúveis.

Adicionalmente, a vitamina C, composto hidrossolúvel e de grande capacidade antioxidante, está presente no teor de16,2 mg, ou seja, cerca de 18% e 22% das necessidades diárias desse micronutriente, respectivamente, para homens e mulheres.


O manganês é um dos cofatores essenciais para ação de uma enzima chamada superóxido dismutase, importante na produção de energia pelas mitocôndrias (as "fábricas" de produção de energia dentro das células) e nas defesas antioxidantes. Adicionalmente, é um co-fator necessário para uma outra enzima chamada prolidase que, por sua vez, é necessária na produção de colágeno (componente estrutural da pele e cartilagens) e para o processo em que o organismo produz glicose - chamado de gliconeogênese - em que algumas das enzimas envolvidas (ex. fosfoenolpiruvato carboxiquinase) requerem o manganês para funcionar adequadamente. A jabuticaba, em 100g, fornece cerca de 17% da recomendação ao dia para mulheres e de 13% para homens desse nutriente.


A casca de jabuticaba apresenta antocianinas, composto responsável pela coloração azul-arroxeada típica (que podem variar em intensidade e tom conforme estrutura e pH) que tem como funções nas plantas a fotoproteção e também atrair animais, como pássaros, para consumirem o fruto e, consequentemente, as sementes, promovendo assim a perpetuação das plantas. As antocianinas têm propriedades antioxidantes, exercendo um papel importante antimutagênico na proteção do DNA celular. Apesar de ainda necessitar de mais estudos a respeito, estes compostos estão relacionados à redução do risco de câncer pelo fato de influenciarem em diferentes estágios de desenvolvimento do câncer, potencialmente inibindo a proliferação de tumores.


A capacidade antioxidante protege as células na cascata de resposta ao dano oxidativo gerado por espécies reativas de oxigênio, elemento de especial importância, considerando que os radicais livres constituem-se de moléculas de alto grau de reatividade que podem acarretar danos às membranas celular e ao DNA, o código genético da célula. Sobretudo o estresse oxidativo, somado aos danos cumulativos em tecidos, é um fator de risco para o desenvolvimento da maioria dos tipos câncer. A capacidade antioxidante está associado à diminuição do risco de doenças neurodegenerativas, como a Doença de Alzheimer.


Apesar de ser consumida principalmente in natura, a jabuticabeira tem um período específico de frutificação, contando geralmente com apenas uma safra por ano que - dependendo das condições climáticas e solo - vai dos meses de Agosto a Setembro.Por essa razão e devido à sua alta perecibilidade que em parte pode dificultar a comercialização, a jabuticaba apresenta versatilidade e grande potencial para a produção de alimentos e bebidas como geléias, bebidas como sucos e licores e até vinagre.

Referências Albuquerque BR, Pereira C, Calhelha RC, José Alves M, Abreu RMV, Barros L, Oliveira MBPP, Ferreira ICFR. Jabuticaba residues (Myrciaria jaboticaba (Vell.) Berg) are rich sources of valuable compounds with bioactive properties. Food Chem. 2020 Mar 30;309:125735. doi: 10.1016/j.foodchem.2019.125735. Neri-Numa IA, Soriano Sancho RA, Pereira APA, Pastore GM. Small Brazilian wild fruits: Nutrients, bioactive compounds, health-promotion properties and commercial interest. Food Res Int. 2018 Jan;103:345-360. doi: 10.1016/j.foodres.2017.10.053. Yeung AWK, Tzvetkov NT, El-Tawil OS, Bungǎu SG, Abdel-Daim MM, Atanasov AG. Antioxidants: Scientific Literature Landscape Analysis. Oxid Med Cell Longev. 2019 Jan 8;2019:8278454. doi: 10.1155/2019/8278454.

Últimos posts
Tags
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.