Alergia, intolerância e sensibilidade: quais as diferenças?

São tantos os termos comuns a quem costuma ler sobre Nutrição que às vezes parece tudo a mesma coisa, mas alergia, intolerância e sensibilidade alimentares são definições diferentes!



Alergia

Trata-se de uma reação inflamatória do nosso organismo frente à presença de alguma proteína identificada pelos anticorpos como “corpo estranho”. Ao ingerir o alérgeno (como é chamada a proteína que desencadeia a reação alérgica), o organismo se protege iniciando uma cascata de reações inflamatórias mediadas por imunoglobulinas do tipo E (IgE), podendo variar de intensidade conforme a susceptibilidade de cada pessoa e a quantidade que foi ingerida.

A resposta normalmente é rápida, surgindo os primeiros sintomas em poucos minutos, e pode afetar o sistema respiratório (tosse, dificuldade para respirar), o trato gastrointestinal (dores abdominais, diarreia, vômitos) e a pele (coceira, vermelhidão, inchaço). Geralmente, quem possui alergia severa a alguma substância encontrada em alimentos deve evitar o seu consumo, pois sempre que o organismo identificar o alérgeno, provocará reações inflamatórias.

Alergias alimentares podem se manifestar desde o nascimento, mas também podem surgir ao longo da vida, até mesmo depois de adulto. Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), estima-se que alergias alimentares atinjam cerca de 2 a 3% da população adulta e cerca de 6 a 8% das crianças de até 3 anos. Vale notar que a alergia manifestada em crianças pode regredir, normalmente entre os 3 e os 5 anos de idade, tornando-se inexistente na vida adulta. Exemplos: alergia à caseína e à beta-lactoglobulina (proteínas do leite de vaca), alergia a proteínas da soja, do trigo, do camarão, do amendoim.



Intolerância

Intolerâncias estão relacionadas ao surgimento de sintomas não-imediatos, que costumam aparecer de 1 a 3 horas após a ingestão. Ocorrem devido à digestão prejudicada de componentes de certos alimentos, que permanecem no intestino sem serem absorvidos, causando desconforto abdominal, gases, dores, diarreia, entre outros. Algumas intolerâncias são causadas pela falta ou redução da secreção de enzimas (moléculas responsáveis pela digestão), como é o caso da intolerância à lactose (o açúcar do leite), que ocorre devido à presença reduzida da enzima lactase. Podem também estar relacionadas à má-absorção de corantes, emulsificantes, aromatizantes e conservantes alimentares.

Intolerâncias se manifestam em diferentes níveis e também podem surgir após a vida adulta. A ingestão de pequenas quantidades do alimento causador da intolerância em muitos casos não desencadeia os sintomas, e nem sempre é necessário excluir o alimento da dieta. Ainda, sob orientação de médico e/ou nutricionista, em casos de intolerância à lactose é possível ingerir a enzima lactase antes de refeições com alimentos que contenham lactose. Deste modo, a digestão não será prejudicada.



Sensibilidade


Os termos sensibilidade e intolerância são em muitos casos utilizados como sinônimos, pois ambos são utilizados para situações que não podem ser consideradas alergias, uma vez que não envolvem respostas imunológicas mediadas por IgE. Porém, o termo sensibilidade é mais utilizado para designar sintomas que ocorrem após a ingestão de algum alimento ou componente de modo normalmente menos severo e mais tardio, podendo surgir até 72h após a ingestão. Relaciona-se geralmente a desconfortos abdominais, inchaço e alteração do funcionamento intestinal. Exemplo: sensibilidades a alimentos contendo sulfitos (feijões, soja, picles, vinagre, vinho, entre outros), sensibilidade não-celíaca ao glúten.



Estou tendo sintomas. O que fazer?


É muito importante averiguar a real causa dos sintomas e estabelecer o diagnóstico correto, com a ajuda de profissionais da saúde. Tratamentos e alterações na dieta sem o devido acompanhamento podem mascarar distúrbios metabólicos e oferecer riscos diversos à saúde, além de privar a pessoa de ingerir alimentos desnecessariamente.


Vale ressaltar que alergias, intolerâncias e sensibilidades alimentares acometem a minoria da população, e que diversas outras situações transitórias podem causar sintomas semelhantes (como stress, intoxicação alimentar, outras infecções).



Referências

Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). Alergia Alimentar. Disponível em: http://www.asbai.org.br/secao.asp?s=81&id=306 (Acesso em 21/06/2017).


Nordqvist C. Food Intolerance: causes, symptoms, and diagnosis. Medical News Today. Disponível em: http://www.medicalnewstoday.com/articles/263965.php (Acesso em 21/06/2017).


World Health Organization (WHO). International Food Safety Authorities Network (INFOSAN). Food allergies. Disponível em: http://www.who.int/foodsafety/fs_management/No_03_allergy_June06_en.pdf (Acesso em 21/06/2017).

Últimos posts
Tags
Posts relacionados
Comentários
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.