Sal com sódio ou sem sódio? Eis a questão

18/03/2020

 

Este é um dos primeiros textos que estamos escrevendo que foi solicitado por um dos nossos leitores. A pergunta, feita pelas nossas redes sociais, veio acompanhada de uma fotografia (abaixo), e dizia: devo substituir o sal que eu uso pelo sal zero sódio?

 

Decidimos explicar porque a indústria (no caso do panfleto da foto) sugere que usemos o sal dela, ou melhor, o sal 0 sódio e, assim, caros leitores, vocês poderão tomar a própria decisão sobre se devem ou não manter o NaCl (ou cloreto de sódio, vulgo sal de cozinha) na sua dieta.

 

Para começarmos a conversa, é necessário dizer que o sódio (Na) e o cloreto (Cl) são eletrólitos essenciais para a nossa saúde, são responsáveis pela manutenção da osmolaridade do líquido extracelular (aquele que fica fora da célula) (Rust et al., 2016).

 

O trato gastrointestinal é responsável pela captação da maior parte do sódio que vem da dieta e o rim capta 90% do sódio restante. O sódio é tão importante, que, em casos de vômito excessivo, diarreias e sudorese intensa, situações marcadas pelo aumento da perda do sódio, caso o mineral não seja resposto, o indivíduo pode experimentar confusão mental, dor de cabeça e pode entrar coma. O sódio ainda participa da sinalização de contração das fibras musculares, impulso de células nervosas, controle do pH sanguíneo, excreção gástrica e absorção de nutrientes (Rust et al., 2016).

 

Agora para a parte que é um pouco mais complicada. Como que o sal, ou melhor, o sódio, pode alterar a pressão?

O sal inibe a produção de uma molécula chamada renina, liberada por células do rim. A renina entra na circulação sanguínea e cliva (ou quebra) uma molécula chamada angiotensinogênio (produzida pelo fígado), que passa a ser chamada de angiotensina I. A angiotensina I sofre nova quebra enzimática e passa a ser chamada de angiotensina II. É a angiotensina II que se liga aos canais (ou receptores) de membrana celular AT1. A ativação via AT1, entre outras coisas, aumenta a reabsorção de sódio pelo rim (aquele que seria excretado) e estimula a liberação de aldosterona (hormônio) pelas adrenais, que culmina na vasoconstrição das artérias, causando pressão alta (Schweda, 2014). Imagine um canudo grande (milkshake), com as paredes todas pressionadas para virar um canudo com menor calibre (canudo de refrigerante). O que acontece é exatamente isso. Parece complexo, não? É porque esse processo realmente é complexo e, o sistema renina - angiotensina - aldosterona é apenas um dos processos - existem outros mecanismos que ligam o consumo de sal à pressão alta.

 

Substituir o sal de cozinha normal, este que usamos todos os dias para cozinhar, pelo sal zero sódio ajuda?

 

Depende. A maior parte dos substitutos de sal, o que inclui o sal light, tem cloreto de potássio substituindo o cloreto de sódio. Caso você tenha pressão alta, e apenas pressão alta, em quantidade moderada, usar o sal zero sódio em substituição ao sal de cozinha, pode ajudar. É importante ter em mente que a maior parte do sal que consumimos diariamente vem de alimentos industrializados, como refrigerantes, salgadinhos, biscoitos, alimentos prontos (como pizzas, lasanhas etc). Dificilmente usamos o sal da mesa para salgar ainda mais os alimentos.

 

Aliás, há um projeto de lei em trâmite, que proíbe disponibilizar saleiros nas mesas dos restaurantes, algo que já é praticado por alguns estados brasileiros, como Espirito Santo. O que vocês acham disso?

 

O potássio, assim como o sódio, tem funções fisiológicas muito importantes, como a de controle da pressão arterial, função das fibras nervosas e musculares, o que inclui a musculatura do coração. E o rim geralmente excreta o excesso de potássio ingerido. No entanto, caso ocorra algum problema de saúde que comprometa a função renal, como idade avançada, diabetes e insuficiência cardíaca, ou caso se faça uso de medicações que provoquem a retenção de potássio pelo rim, como alguns diuréticos poupadores de potássio (ex.: triantereno), a espirinolactona (pressão alta), lisinopril (pressão alta), ramipril (pressão alta) e alguns analgésicos, como ibuprofeno e naproxeno, recomenda-se cautela no consumo do sal de potássio.

 

Dicas

Agora, caso você não tenha pressão alta e queira apenas controlar o consumo de sal da sua dieta, recomendamos aumentar o consumo de verduras e legumes, que contém quantidades moderadas desses sais (tanto do sódio quanto do potássio) e fará com que você se alimente menos de comidas processadas (que quase sempre tem muito sal).

 

Embutidos (linguiça, presunto, peito de peru, calabresa) e queijos contém muito sal. Rerigerantes também. E é um sal bobo, que você nem nota que já atingiu o limite de sal que você poderia comer naquele dia. A dica daqui é apenas maior consciência na hora que for comer esses alimentos, prestar atenção.

 

Acostumem-se também a temperar os alimentos com outras coisas que não só o sal: as ervas aromáticas e as especiarias são excelentes para dar aquele toque especial na sua comida. Aos poucos, o paladar se acostuma e o sal deixará de fazer falta.

 

 

 

 

Referências

 

Schweda F. Salt feedback on the renin-angiotensin-aldosterone system. Eur J Phys 2014; 467: 565-76.

 

Rust P e Ekmekcioglu C. Impact of salt intake on the pathogenesis and treatment of hypertension. Adv Exp  Med Biol 2016; 956: 61-84.

 

https://www.camara.leg.br/noticias/495641-projeto-proibe-que-restaurantes-deixem-saleiros-a-disposicao-nas-mesas/

 

Please reload

Últimos posts

Saudades de um pão de queijo

September 23, 2020

1/10
Please reload

Tags
Please reload

Posts relacionados
Please reload

Comentários
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.