• Kelly V. Giudici

Pelo direito de ter preferências alimentares



Você já sabe que quanto mais colorida a alimentação, maior será a diversidade de nutrientes (se estivermos falando de comida sem corantes artificiais, claro!). Já abordamos aqui e aqui o tema da monotonia alimentar, e como ela pode ser prejudicial para a saúde. Então você pode se perguntar: "Isso quer dizer que para ter uma alimentação saudável eu tenho que comer tomate + abobrinha + feijão + banana + rúcula + tofu + goji berry + agrião + alcaparras + repolho + ovo + ricota + isso + aquilo?" Calma, fique tranquilo(a): não!


Tendemos a encarar as coisas num esquema meio "8 ou 80", né? Muitos pensam que, "se comer pouca variedade não é saudável, então só comendo MUITA variedade conseguirei ter uma alimentação equilibrada." Mas isso não é verdade! Do "pouca" para o "muita" existe um caminho de infinitas possibilidades.

Você não precisa gastar muito no mercado, comprar mil ingredientes e comer coisas completamente diferentes a cada dia. Inclusive, é muito mais fácil planejar as refeições da semana (e até mesmo do mês) levando em consideração alguns alimentos-chave e pensando nas suas variações e diferentes formas de preparação. Confira a seguir algumas sugestões para balancear as preferências pelos "mesmos alimentos de sempre" e garantir uma diversidade minimamente suficiente para fornecer nutrientes variados!



• Garanta que os alimentos do seu dia-a-dia contemplem todos os grupos alimentares (ou a maior parte deles): vegetais folhosos, legumes, frutas, grãos integrais, oleaginosas (castanhas e nozes), leguminosas (feijões, lentilha, grão de bico, soja, ervilha), laticínios, carnes e ovos. Se os mesmos alimentos que se repetem todos os dias abrangerem todos os grupos, é mais provável que você esteja consumindo uma variedade maior de nutrientes. Por outro lado, se você costuma variar, mas são todos alimentos do mesmo grupo (como numa dieta baseada em pizza, macarrão, batata e salgadinhos), a dieta tende a ser deficiente em alguns (ou vários) nutrientes.

• Quem é vegetariano(a), vegano(a) ou tem alguma restrição importante que afete todo um grupo de alimentos deve estar mais atento para garantir um adequado aporte dos principais nutrientes fornecidos por cada um destes grupos, por meio da ingestão de outros alimentos (naturais ou fortificados) e de uma eventual suplementação, a ser avaliada por um profissional de saúde.


• As ocasiões em que se come fora de casa podem ser boas oportunidades para variar o cardápio. Escolha alimentos diferentes do trivial, ou formas de preparação mais trabalhosas que você não costuma preparar em casa.

• No mercado, explore os alimentos da estação e/ou as promoções. Pagar mais barato pode ser um bom estímulo para diversificar as escolhas de vez em quando!

• Variar as formas de preparo do que você sempre come pode ser uma saída para incluir outros grupos alimentares que às vezes ficam mais esquecidos. Por exemplo: quem é fã de batata pode experimentar prepará-la como suflê, purê ou base de torta, incluindo outros legumes e vegetais folhosos nestas receitas.


• Para aqueles alimentos que você até gosta, mas não consegue comer muito de uma só vez ou em poucos dias, o congelador pode ser a salvação. Em vez de deixar de comprá-los por este motivo e não comê-los, compre, coma e congele uma parte para estender o seu prazo de validade! Legumes picados e higienizados se encaixam bem nesta sugestão!


• Solucione problemas simples: se suas preferências alimentares na verdade são o que sobra porque você exclui diversos outros alimentos da sua rotina por falta de tempo, preguiça ou qualquer outro motivo que o(a) impeça de prepará-los, considere comprá-los prontos e/ou pré-higienizados e porcionados. Isso se aplica a praticamente tudo: feijão, legumes, frutas, carnes...


• Tenha em mente que os alimentos ultraprocessados ricos em sal, gordura e açúcar, por mais variados que sejam em sabores, em geral têm composição nutricional pobre, contribuindo negativamente para a diversidade da sua alimentação e para a saúde no geral.


Se lendo este texto você percebeu que sua alimentação é mais restrita do que deveria, e quer ajuda para conseguir expandir suas preferências alimentares, fique calmo(a)! Aprender a gostar de mais alimentos é possível e nós vamos te ajudar! Confira estes textos aqui e aqui!

Últimos posts
Tags