• Natália P. de Castro

Como a alimentação pode mudar quando se tem câncer



"Câncer é um termo que abrange mais de 100 diferentes tipos de doenças malignas que têm em comum o crescimento desordenado de células, que podem invadir tecidos adjacentes ou órgãos a distância" (INCA, 2020).

Apesar dos diferentes tipos de doenças malignas abragidas pelo termo, com o envelhecimento da população, é cada vez mais comum o diagnóstico de câncer. Isto é, quem de nós não conhece alguém da própria família que tenha tido algum tipo de câncer? Acredito que poucas pessoas possam responder "não" a essa pergunta.


Felizmente, a ciência também tem avançado e, com ela, a chance de sobrevivência à esta doença. No entanto, o tratamento do câncer geralmente tem efeitos adversos (ou colaterais) importantes e uma das principais queixas tem relação com a falta de apetite. De fato, os mecanismos que provocam alteração do apetite no tratamento do câncer são muitos e incluem, principalmente, a mucosite, a anorexia e saciedade precoce e presença constante de náuseas e vômitos.


Mucosite


O que é?


A mucosite é caracterizada por feridas que surgem no trato digestivo (que vai da boca até o anus, passando pelo esôfago, estômago e intestinos). Os sintomas da mucosite são: sensibilidade excessiva na boca; presença de aftas e feridas; dificuldade para comer, engolir e falar; boca e lábios ressecados; diarreia, sangramento no anus e dor para defecar.


Por quê?


O tratamento do câncer geralmente atua no processo que impede a multiplicação de células. As células que se replicam muito rápido, como as das mucosas (revestem aparelho digestivo), acabam sendo afetadas pelo tratamento.


Tem tratamento?


Sim! Por isso, deve-se conversar com o médico quando há sinais de mucosite presentes. O tratameto envolve uso de enxaguantes bucais que limpam, dessenssibilizam e protegem a boca; uso de analgésicos; sprays e gels que mantem a boca umedecida (conhecidas como salivas artificiais); medicações que reduzem diarreias e dores no reto.


O que fazer para driblar esse efeito colateral?


  • Escovar os dentes com escova de cerdas macias ao menos 2 x por dia

  • Tente passar o fio dental ao menos 1 x por dia

  • Enxague a boca com água morna ou água morna misturada com sal algumas vezes ao dia

  • Abuse de gelos e picolés

  • Procure se aliementar de coisas mais macias, como sopas, gelatinas, frutas cozidas

  • Beba muita água

  • Mastigue chiclete se não for muito desconfortável (para ativar salivação)

  • Sempre use hidratante de lábios para que eles não fiquem feridos

  • Não usar dentadura caso isso seja desconfortável e mantê-las sempre limpas enquanto não as estiver usando.


Anorexia e saciedade precoce


O que é?


A anorexia ou falta de apetite é um efeito muito comum, resultado do câncer ou do seu tratamento. A falta de apetite provoca perda de peso importante em pacientes com câncer, o que pode prejudicar o curso do tratamento. Esses sintomas são identificados com questionário simples aplicado na prática clínica, chamado Ferramenta de Triagem de Desnutrição (ou Malnutrition Screening Tool).


Por quê?


A causa primária de anorexia em pacientes com câncer se deve ao aumento de citocinas pró-inflamatórias e excesso de lactato. Essas substâncias, quando aumentadas, modulam o sistema nervoso central, afetando a produção de neurotransmissores responsáveis pela sensação de fome e saciedade.


Tem tratamento?


Há manejo desses sintomas. Uma vez identificada anorexia e saciedade precoce, deve-se cosiderar fármacos específicos para o tratamento. A terapia nutricional nesses casos, também é de suma importância. Aqui, mediante avaliação individual, faz-se suplementações específicas visando atingir o aporte de carboidratos, proteínas e gorduras necessárias para ganho ou manutenção do peso corporal. As táticas envolvem a inclusão de suplementos hipercalóricos específicos no dia a dia e o preparo de alimentos usando os suplementos (para aumentar as calorias dos preparos).


O que fazer para driblar esse efeito colateral?


Na prática clínica, percebemos que o paciente com câncer fica facilmente nauseado ou saciado quando envolvido no preparo das próprias refeições. Portanto, recomenda-se, sempre que possível, que a pessoa com câncer não entre em contato com os alimentos antes de ser servida, além de procurar satisfazer seus desejos no que se refere aos alimentos. Seria como se estivéssemos levando o paciente ao restaurante, perguntando o que ele(a) tem vontade de comer, considerando a aparência e palatabilidade dos pratos, mais que quaisquer outras caracterísitcas nutricionais dos preparos (como calorias, por exemplo).






Náuseas e vômitos


O que é?


A náusea é descrita como sensação desconfortável no fundo da garganta e estômago. Muitas outras palavras podem ser usadas para descrever essa sensação, como "vontade de vomitar", "ânsia" de vômito ou "enguiar". Outros sintomas podem acompanhar a náusea, como aumento da salivação, tontura, dificuldade para engolir, temperatura da pele também pode mudar e pode também aumentar frequência cardíaca.


Por quê?


Os mecanismos envolvidos nas náuseas e vômitos não são completamente conhecidos. Sabe-se que o tratamento quimioterápico para determinados tipos de tumores são mais eméticos (provocam mais náuseas e vômitos que outros) que outros. Mais ainda: parece que a quimioterapia afeta um tipo de célula endócrina específica do epitélio intestinal, chamada célula enterocromafim, que libera serotonina, um neurotransmissor que, quando liberadas por estas células, ativam o ativa a 5-hidroxitriptamina, que, no cérebro, provoca esse sintoma.


Tem tratamento?


O tratamento envolve uso de fármacos que se ligam a 5-hidroxitriptamina e impedem/interrompem sua ativação e, consequentemente, os sintomas de náuseas e vômitos.


O que fazer para driblar esse efeito colateral?


  • Manter-se hidratado e, quando necessário, faça uso de isotônicos para repor sais minerais perdidos - isso poupará eventuais internações por desidratação. No entanto, deve-se tomar o cuidado de beber o isotônico em pequenos volumes.

  • Fracione as refeições. Ao invés de pratos grandes poucas vezes ao dia, procure se alimentar muitas vezes e em menor quantidade. Certifique-se de que está comendo o suficiente para não perder peso.

  • Evite alimentos que possam provocar náuseas e vômitos, como frituras, temperados demais, e os excessivamente doces e salgados.

  • Chupe balas de menta ou mastigue folhas de menta ou chiclete de menta. A menta pode reduzir os espasmos estomacais causados pela náusea.

  • Mastigue gengibre cru ou faça chá de gengibre. O sabor ajuda a evitar a náusea.




Há muitas outras características que podem contribuir para a mudança do apetite no câncer e todos podem ser manejados com fármacos e práticas nutricionais. Podemos abordar essas outras características em outro texto, caso precisem.


Entrem em contato conosco pelas redes sociais caso tenham dúvidas. Não deixem de pedir ajuda qaundo necessário.



Curtam e compartilhem nossos textos!




Referências

INCA, 2020 - https://www.inca.gov.br/o-que-e-cancer

https://www.nhs.uk/conditions/mucositis/

J Cachexia Sarcopenia Muscle. 2015 Dec; 6(4): 287–302.

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdfdirect/10.1111/j.1747-0080.2006.00099.x

https://www.cancer.org/treatment/treatments-and-side-effects/physical-side-effects/nausea-and-vomiting/what-is-it.html

https://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/7596/profilaxia_de_nauseas_e_vomitos_em_pacientes_em_quimioterapia.htm

https://www.healthlinkbc.ca/health-topics/tv3801





Posts recentes

Ver tudo
Últimos posts
Tags