• Clarissa T. H. Fujiwara

Atividade Física: Quais as recomendações? - Parte 2

E no post da semana, damos sequência ao tema de atividade física, no qual abordamos neste post a respeito dos inúmeros benefícios de reduzir o sedentarismo e colocar mais movimento no cotidiano, com base na mais recente diretriz da Organização Mundial da Saúde (OMS).


Trazemos a seguir recomendações mais específicas, estratificadas para diferentes grupos populacionais, conforme abaixo:


CRIANÇAS E ADOLESCENTES

| 5 a 17 anos


Recomendação:

Para esse grupo em período de crescimento e desenvolvimento, a orientação é de se realizar ao menos 60 minutos por dia de atividade física de intensidade moderada a vigorosa, sendo a maior parte, aeróbica.


Inclusive, as atividades aeróbicas de intensidade moderada a vigorosa, assim como aquelas que estimulam o fortalecimento de músculos e ossos devem ser incorporadas em pelo menos 3 dias na semana.


As orientações destacadas acima também contemplam benefícios a crianças e adolescentes com deficiências, a exemplo como promover melhora em indivíduos com condições que prejudicam a função cognitiva - como o transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) - bem como na função física em crianças e adolescentes com deficiência intelectual.



Vale lembrar que o documento ressalta, dentre outras recomendações de boas práticas de que, mesmo que não seja possível atender a essas recomendações, o fato de praticar alguma atividade física é melhor do que nenhuma. Também, traz a importância de se encorajar crianças e adolescentes a participarem de atividades que sejam divertidas, agradáveis (afinal, isso é importante para qualquer pessoa) e, claro, adequadas para sua idade e nível de condicionamento.


Em contramão, o texto traz à tona a preocupação com o sedentarismo e, nesse sentido, fica a orientação de procurar limitar a quantidade de tempo em comportamento sedentário, particularmente do período dispendido frente às telas - atualmente, cada vez mais numerosas.


ADULTOS

| 18 a 64 anos


Recomendação:

É enfatizada a necessidade e importância de se praticar atividades físicas regulares. E nesse caso, adultos devem realizar ao menos 150 a 300 minutos de atividade física aeróbica de moderada intensidade ou, então 75 a 150 minutos daquelas de vigorosa intensidade. A combinação equivalente de atividade física de moderada e vigorosa intensidade ao longo da semana também vale nesse cálculo.


Aqui, entram as orientações ao menos 2 dias na semana, da inclusão de atividades de fortalecimento muscular de ao menos moderada intensidade que envolvam os principais grupos musculares.


Para adultos com deficiência, como esclerose múltipla, lesão da medula espinal ou com doença que comprometam a função cognitiva, essas recomendações também são importantes. Melhora da qualidade de vida em adultos com esquizofrenia, deficiência intelectual e indivíduos com quadros como de depressão clínica severa são decorrentes da prática de atividade física.



Assim como abordado na infância e adolescência, entra um dos maiores desafios da atualidade, pela questão da dificuldade na limitação da quantidade de tempo em comportamento sedentário. As diretrizes ressaltam que os indivíduos já coletam benefícios à saúde por meio da substituição do período sedentário com atividades físicas de qualquer intensidade.


O conteúdo ainda traz que, para os sobreviventes de câncer e para adultos que vivem com hipertensão, diabetes tipo 2 e HIV, recomenda-se para auxiliar a reduzir os efeitos deletérios

das grandes quantidades do comportamento sedentário na saúde, o objetivo em fazer mais do que as quantidades recomendadas de atividade física de moderada a vigorosa intensidade.




IDOSOS

| Acima de 65 anos


Recomendação:

Como estabelecido para adultos, os indivíduos com idade de 65 anos ou mais, devem realizar pelo menos 150 a 300 minutos de atividade física aeróbica de moderada intensidade ou pelo menos 75 a 150 minutos de atividade física aeróbica de vigorosa intensidade, além da combinação decorrente de atividades físicas de moderada e vigorosa intensidade para este cômputo.


Como uma preocupação que se torna mais recorrente, idosos devem também fazer atividades de fortalecimento muscular de moderada intensidade ou maior que envolvam os principais grupos

musculares no mínimo dois dias semanalmente. Adicionalmente, questões que concernem ao para aumento da capacidade funcional e prevenir quedas, associadas à morbimortalidade nesta população, atividades físicas multicomponentes que envolvam o desenvolvimento de equilíbrio funcional e o treinamento de força com moderada intensidade ou maior, 3 ou mais dias ao longo da semana.



Novamente, reforçando o ponto apresentado para adultos, a inclusão de atividades físicas de qualquer intensidade, de forma a substituir o tempo sedentário, auxiliam a mitigar o efeitos deletérios da inatividade física.


MULHERES GRÁVIDAS E NO PÓS-PARTO


Recomendação:

Para as mulheres grávidas e no pós-parto que não apresentem contraindicações na prática de atividade física, há recomendações fortes para se estimular a prática de ao menos 150 minutos de atividade física aeróbica de moderada intensidade ao longo da semana, incluindo-se variedade de atividades aeróbicas, de fortalecimento muscular e alongamentos.


Mulheres grávidas e no pós-parto devem iniciar com pequenas quantidades de atividade física e progressivamente aumentar a frequência, intensidade e a duração no decorrer do tempo. Em adição, vale considerar que para mulheres fisicamente ativas e engajadas rotineiramente em atividades aeróbicas de vigorosa intensidade previamente à gravidez, podem continuar essas atividades durante a gravidez e no pós-parto. Em especial, em situações de competições

atléticas ou exercícios significativamente acima das recomendações, as mulheres grávidas devem procurar a supervisão de um profissional de saúde especializado para garantir a prática com segurança.




Referência Diretrizes da OMS para atividade física e comportamento sedentário: num piscar de olhos, 2020.

Últimos posts
Tags