Selênio: em que alimentos encontrá-lo?

O selênio é um oligoelemento essencial para o organismo, que possui ação antioxidante e é constituinte de diversas selenoproteínas que desempenham papéis fundamentais no sistema reprodutivo, no metabolismo dos hormônios tireoidianos e na síntese de DNA.

Vale ressaltar que a quantidade de selênio em alimentos varia consideravelmente entre diferentes regiões e países, sendo influenciado pelo pH do solo que, por sua vez, afeta tanto o teor em alimentos de origem vegetal, quanto nos animais que os consomem.

Quanto consumir?

A recomendação de ingestão de selênio varia conforme o estágio de vida, no entanto, para a população adulta saudável é de 55 mcg/dia, não devendo exceder a 400 microgramas diários, conforme apresentado na Tabela abaixo:

Famoso por estar presente em abundância na castanha-do-Brasil, por outro lado, é descrito que a sua ingestão excessiva pode causar toxicidade. A ingestão cronicamente excessiva de selênio podem causar sinais clínicos de perda ou fragilidade do cabelo e unhas, lesões da pele e do sistema nervoso, náuseas, diarréia, erupções cutâneas, fadiga e anormalidades do sistema nervoso. A toxicidade aguda por selênio é descrita na literatura por uso deliberado de suplementos alimentares contendo elevadas quantidades de selênio causando sintomas gastrointestinais e neurológicos graves, infarto do miocárdio, insuficiência renal, insuficiência cardíaca e, em casos raros, morte.

A seguir, trazemos os teores encontrados de selênio na porção habitual de alguns alimentos:

Referências

Cominetti C, Cozzolino SMF. Funções plenamente reconhecidas de nutrientes: Selênio. Série de publicações ILSI Brasil, São Paulo, v. 8, p. 1-20, 2009.

Ferreira KS, Gomes JC, Bellato CR, Jordão CP. Concentrações de selênio em alimentos consumidos no Brasil. Rev Panam Salud Publica 2002;11(3):172-7.

Institute of Medicine. National Academies Press. Dietary reference intakes for vitamin C,

vitamin E, selenium, and carotenoids. Washington: National Academy Press, 2000.

Silva Junior EC, Wadt LHO, Silva KE, Lima RMB, Batista KD, Guedes MC, Carvalho GS, Carvalho TS, Reis AR, Lopes G, Guilherme LRG. Natural variation of selenium in Brazil nuts and soils from the Amazon region. Chemosphere. 2017;188:650-658.

The Nutrient Data Laboratory – USDA (United States Department of Agriculture) National Nutrient Database for Standard Reference.

Últimos posts
Tags
Posts relacionados
Comentários
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.