• Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2018 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.

Quando a suplementação se torna um perigo

20/02/2019

Escrito por

 
Suplementos alimentares são considerados por muitas pessoas como uma alternativa à uma alimentação saudável capaz de fornecer os nutrientes que necessitamos. Concordamos que é muito mais fácil engolir cápsulas do que se preocupar em mudar hábitos e incluir alimentos variados de maneira equilibrada na rotina diária, mas toda simplicidade tem um preço. Neste caso, dois preços! Além do custo financeiro elevado, suplementos alimentares compostos por nutrientes isolados e concentrados nem sempre atuam no organismo da mesma maneira que o nutriente naturalmente "diluído" no alimento. Ou então simplesmente são ingeridos em quantidades tão elevadas que acabam tendo o seu excesso eliminado, configurando desperdício. O problema piora quando passamos de uma possível ineficácia para algo muito mais preocupante: o aumento do risco à saúde! Quer exemplos?

 


Quando o seu dinheiro vai por água abaixo (literalmente)

 

Um dos nutrientes mais frequentemente suplementados é a vitamina C. Você sabia que um comprimido desta vitamina contem cerca de 20 vezes as suas necessidades diárias? Pois é... não precisamos de tudo isso e nosso corpo não consegue aproveitar tanto de uma só vez. A questão é que se trata de uma vitamina hidrossolúvel (que, diferentemente das vitaminas lipossolúveis, não consegue ser armazenada no nosso organismo). Sendo assim, ela será filtrada nos rins e terá o seu excesso eliminado pela urina.

 


Suplementos e câncer de mama


Agora imagine a seguinte situação: uma pessoa com câncer de mama. Ela recebe o diagnóstico, faz a cirurgia e continua o tratamento por meio de sessões de quimioterapia e radioterapia. Sentindo-se mais fraca e debilitada, acha que é uma boa ideia tomar suplementos multivitamínicos ricos em antioxidantes. Pode parecer uma boa ideia, mas... as doses muito elevadas de antioxidantes podem agir contra o efeito da quimioterapia, prejudicando o tratamento da doença. Parece assombroso e assustador, mas é uma situação, infelizmente, plausível. Como mostrado por um estudo recentemente publicado pelo American Journal of Clinical Nutrition, o uso de suplementos antioxidantes durante o tratamento de quimioterapia e radioterapia para câncer de mama se relacionou com aumento do risco de mortalidade (Jung et al., 2019).

 

 

Excesso de micronutrientes e riscos à saúde


A osteoporose é um problema de saúde pública cada vez mais frequente em diversos países, mas isso não quer dizer necessariamente que todas as pessoas devam optar pela suplementação de cálcio como medida para evitar a perda de massa óssea. O excesso de suplementação (em doses elevadas) deste mineral já foi inclusive relacionado a um aumento do risco para a ocorrência de eventos cardiovasculares (Bolland et al., 2011).

 

A suplementação em doses elevadas de vitamina D, outro nutriente frequentemente utilizado, também já foi associado a risco cardiovascular, necessidade de implantes de suporte mecânico circulatório (Zittermann et al., 2017) e até mesmo a um maior risco para a ocorrência de quedas e fraturas ósseas (Sanders et al., 2010).

 

Outro exemplo é a vitamina E, cuja suplementação em doses acima de 400 Ui/dia foi associada a maior risco de mortalidade (Miller et al., 2005).

 

 

O que devo fazer, então?


É importante ter em mente que estes são apenas alguns exemplos de estudos que identificaram potenciais riscos do uso de suplementação de nutrientes específicos. Não é uma regra generalizada de que estas substâncias sejam prejudiciais se consumidas como suplementos, mas estes exemplos servem de alerta para que o seu uso indiscriminado não seja considerado sinômino de efeitos positivos, já que, conforme demonstrado, isto pode não ser verdade em certas situações.

 

Então, evite o uso de suplementos alimentares por conta própria. Lembre-se: a suplementação nunca deve ser a primeira opção na obtenção de nutrientes. Suplementos são muito bem-vindos em casos específicos, os quais devem ser julgados e prescritos por um nutricionista ou médico, que saberão avaliar os riscos e benefícios deste tipo de conduta.

Por isso, a menos que você tenha a recomendação de um profissional de saúde para usar suplementos alimentares, guarde seu precioso dinheiro ou gaste-o investindo em uma alimentação mais equilibrada.

 


E é sempre bom lembrar: o nutriente da comida não é o problema!


Vegetais, frutas e os demais alimentos fontes naturais de vitaminas e minerais não exercem o mesmo perigo potencial do que o uso de suplementos. Não tenha medo da comida!

 


Referências


Jung AY, Cai X, Thoene K, Obi N, Jaskulski S, Behrens S, Flesch-Janys D, Chang-Claude J. Antioxidant supplementation and breast cancer prognosis in postmenopausal women undergoing chemotherapy and radiation therapy. Am J Clin Nutr. 2019 Jan 1;109(1):69-78. 

 

Miller ER 3rd, Pastor-Barriuso R, Dalal D, Riemersma RA, Appel LJ, Guallar E. Meta-analysis: high-dosage vitamin E supplementation may increase all-cause mortality. Ann Intern Med. 2005 Jan 4;142(1):37-46. Epub 2004 Nov 10.


Sanders KM, Stuart AL, Williamson EJ, Simpson JA, Kotowicz MA, Young D, Nicholson GC. Annual high-dose oral vitamin D and falls and fractures in older women: a randomized controlled trial. JAMA. 2010 May 12;303(18):1815-22.


Zittermann A, Ernst JB, Prokop S, Fuchs U, Dreier J, Kuhn J, Knabbe C, Birschmann I, Schulz U, Berthold HK, Pilz S, Gouni-Berthold I, Gummert JF, Dittrich M, Börgermann J. Effect of vitamin D on all-cause mortality in heart failure (EVITA): a 3-year randomized clinical trial with 4000 IU vitamin D daily. Eur Heart J. 2017 Aug 1;38(29):2279-2286.

Please reload

Últimos posts

Atividade física, comportamento sedentário e sono dos pequenos - e o por quê de confiarmos no que diz a Organização Mundial da Saúde

February 19, 2020

1/10
Please reload

Tags