Horta Caseira – Parte I – Por que fazer uma horta em casa?


Ultimamente tenho pesquisado e estudado o desenvolvimento de hortas em escolas com o foco educativo de vivência e práticas saudáveis, o que me fez pensar: “Por que não trazer esse movimento para nossas casas, não é mesmo?”

Estamos vivendo em espaços cada vez mais urbanizados, onde o nosso modo de vida, o que comemos e como nos locomovemos estão cada vez mais desconectados com o meio ambiente. A horta caseira, de certa forma, nos ajuda a reconectar com a natureza, respeitar o seu ciclo, atendendo às suas necessidades e cuidados.

Os seus benefícios vão além do aumento no consumo de hortaliças, englobando diversos aspectos como, por exemplo:


  • A redução do consumo de sal pela utilização de ervas aromáticas;

  • O exercício da atenção plena e da paciência, respeitando o diferente tempo de cultivo e de cuidado das plantas;

  • Um estímulo para cozinhar com os insumos da horta;

  • Utilização de receitas de família, possibilitando o resgate cultural das preparações;

  • Estímulo ao consumo de alimentos orgânicos e a importância ambiental disso, uma vez que sua horta é produzida com ausência de agrotóxicos;

  • A sensação de bem-estar no contato com a terra, entre tantos outros.

Com este propósito, pesquisei alguns materiais de livre acesso sobre a construção de hortas em espaços pequenos e caseiros para compartilhar com vocês. Vamos começar com as ervas aromáticas que se adaptam em espaços pequenos de plantio e são práticas para utilização em preparações culinárias.

Para iniciar uma horta caseira, você precisará seguir alguns passos importantes que serão sintetizados a seguir, mas lembre-se: as plantas são seres vivos, e como tais, necessitam de cuidados diários para sua sobrevivência! Esse é o ponto primordial!



Para ter uma horta é preciso cuidá-la!


O local

As plantas em geral gostam de bastante luminosidade, sendo indicada luz solar direta por pelo menos algumas horas do dia. A dica é escolher um local e observar o desenvolvimento da erva escolhida. Você já reparou qual local da sua casa bate sol?

Quais ervas plantar? Muda ou sementes?

A escolha pelo tipo de erva que se quer plantar dependerá do seu interesse pela erva e facilidade de cultivo.

Após a seleção da erva, você ainda tem a opção de plantar a semente ou a muda. O importante é saber que, cada uma dessas opções, tem facilidades e dificuldades.

As sementes, por exemplo, geralmente são mais baratas e apresentam maior diversidade para comprar. No entanto, o plantio e cuidado é mais demorado que a muda. Já a muda, você inicia com a planta mais desenvolvida e bonita e poderá utilizá-la em suas preparações mais rapidamente.

Como plantar?

Mudas

  1. Escolha um vaso com furos no fundo ou utilize uma garrafa pet (corte com auxílio de uma tesoura a parte superior da garrafa e na parte inferior faça furos, para o escoamento da água);

  2. Coloque no fundo argila expandida, brita ou pedras para facilitar a drenagem do excesso de água;

  3. Por cima, coloque uma camada de tecido para conter a terra e o substrato de cultivo, ou areia;

  4. Por último, coloque o substrato de cultivo (terra adubada e húmus de minhoca) deixando um espaço para a muda;

  5. Retire o plástico da muda com auxílio de uma tesoura. Retire-a com cuidado e coloque no vaso preparado. Preencha com o substrato, de modo que a planta fique firme;

  6. Agora é só regar a planta para facilitar seu enraizamento.

Sementes

  1. Utilize recipientes não muito fundos (até 10 cm de altura): copinhos plásticos, garrafa PET, caixa de leite, caixa de ovos, potes velhos, etc;

  2. Faça pequenos furos nos recipientes utilizados para o escoamento da água e utilize pedras para tampar as frestas, para que não haja perda de terra;

  3. Cubra com substrato (terra adubada e húmus de minhoca) com cuidado para que não tenha torrões de terra (para isso, desmanche-os com as mãos);

  4. Faça pequenos furos na terra (0,5cm de profundidade) e jogue de 2 a 3 sementes por furo (se as sementes forem pequenas, espalhe-as na mão para selecionar);

  5. Cubra delicadamente com uma camada fina do substrato e molhe com pouca água;

  6. As sementes precisam de calor, mas devem ficar protegidas do sol direto. Regue a sementeira pela manhã e à tarde sem encharcar;

  7. Quando as mudinhas tiverem de 3 a 5 folhas, já poderão ser replantadas em vasos. Isso acontece em torno de 30 dias.

Rega e colheita

Procure regar as plantas sempre no início da manhã ou no final da tarde, quando o clima está mais ameno. A quantidade de água necessária varia para cada planta, sendo que o tamanho do vaso, a temperatura e o clima também irão influenciar a rega. Uma dica importante é, sempre antes de regar a planta, tocar na terra para sentir sua umidade, evitando excesso de água, que poderá afogar a plantinha. A rega deve ser feita na base da planta e nunca nas suas folhas, para impedir que as folhas fiquem úmidas e propensas a pegarem fungos.

Para a colheita das ervas, utilize sempre uma tesoura para um corte preciso. Siga as orientações abaixo para cada uma delas:

Referências:

Sabores da horta: do plantio ao prato. Secretaria de agricultura e abastecimento. 2017. Disponível em: http://www.codeagro.sp.gov.br/uploads/publicacaoesCesans/sabores_horta_web.pdf

Algumas informações foram obtidas a partir do curso de horta caseira realizado com a ©Pé de Feijão. Site: www.pedefeijao.com.br.

Últimos posts
Tags
Posts relacionados
Comentários
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.