Pequeno guia do chocolate saudável

14/03/2018

Escrito por

 

 

Páscoa chegando... está aberta a temporada oficial do chocolate! E como resistir a tantos lançamentos e sabores variados?

 

 

Mas quem disse que é preciso resistir?!

 

Muitos já sabem que chocolate é fonte do aminoácido triptofano, um precursor da serotonina, o neurotransmissor que nos fornece sensação de prazer e felicidade. É também fonte de flavonóides (como epicatequina, quercetina e antocianidinas), compostos bioativos com propriedade antioxidantes e antitrombóticas. Comer chocolate, como podemos ver, não é nenhum problema! O problema é exagerar na dose, já que não podemos esquecer que esta iguaria possui também quantidades consideráveis de açúcar e de gorduras saturadas.

 

 

Então, especialmente para aqueles que amam chocolate e que o consomem com frequência, independente da proximidade com a Páscoa, aqui vão algumas dicas para aproveitar o que ele tem de melhor!

 

● Quanto maior o teor de cacau no chocolate, mais antioxidantes e menos açúcar ele terá. Consequentemente, mais amargo será o seu sabor... É possível encontrar versões de até 99% cacau, mas não é preciso radicalizar a este ponto (mesmo porque poucos paladares conseguem!).

 

● Como tudo na vida, o treino gradual torna cada adaptação mais fácil. Você adora chocolate ao leite, mas está disposto(a) a tentar opções com maior teor de cacau? Comece aos poucos! Uma boa dica é até mesmo comer os dois juntos (ao leite e amargo), diluindo assim o sabor mais doce e permitindo que as suas papilas gustativas se acostumem com menos açúcar e mais cacau. Em algum tempo, a versão 70% cacau lhe parecerá bem mais doce do que no início!

 

● Costuma fazer brigadeiro? Pois experimente utilizar cacau em pó no lugar do achocolatado. O achocolatado contém açúcar em sua composição (e convenhamos que já temos açúcar suficiente no leite condensado!). Cuidado também com o tipo de margarina usado na receita: garanta que ela não possui gordura trans olhando no rótulo a sua tabela nutricional e a lista de ingredientes!

 

● Se a ideia é reduzir o excesso de açúcar da alimentação sem excluir o chocolate, barras de chocolate com oleaginosas também são um boa pedida! Quanto mais nozes, castanhas e/ou grãos estiverem misturadas ao chocolate, menos quantidade total de açúcar ele terá, e mais nutrientes naturalmente encontrados nas oleaginosas, como selênio, zinco, magnésio e potássio.

 

● O chocolate que você compra vem com quantidades moderadas de castanhas? Pois personalize você mesmo o seu chocolate! Compre nozes e coma-as junto à sua porção de chocolate!

 

 

● O mesmo vale para o brigadeiro: que tal enrolá-los em castanhas picadas ou em farinha de castanhas, ou até mesmo em leite em pó desnatado? A maior parte dos chocolates granulados encontrados nos supermercados não é realmente chocolate (o que você talvez já tenha percebido ao prová-lo puro, pois o sabor é diferente)! Trata-se de uma massa rica em gordura trans e com baixo teor de cacau.

 

 

 

 

 

● Inove personalizando o seu brigadeiro e crie variações mais gostosas e saudáveis! Colocar uva ou morango inteiros dentro do brigadeiro também é uma boa pedida! O doce fica tão gostoso quanto (ou ainda mais!) e você consome menos massa de brigadeiro e mais fibras!

 

 ● E sempre vale lembrar: chocolate branco não é, teoricamente, chocolate! Sua composição não leva massa de cacau, somente manteiga de cacau (que não possui as mesmas propriedades nutricionais do fruto em si). Como resultado, contém mais gorduras saturadas e açúcares em relação à versão tradicional (ao leite).

 

 

 

● Cremes à base de avelã e cacau também são muito utilizados, principalmente como recheios de tapiocas, crepes e sobremesas. Porém, a maior parte das opções disponíveis no mercado possui óleo de palma na lista de ingredientes, um tipo de óleo vegetal com alto teor de gorduras saturadas. Fique atento a isso, e faça suas escolhas com consciência!

 

● Caixa de bombons: qual pegar? O que você gosta mais! Respeite o seu paladar e desfrute o seu bombom favorito de vez em quando! Mas, se estiver em busca das opções mais saudáveis, lembre-se de que aqueles com recheios de frutas ou castanhas contém nutrientes mais diversificados!

 

E a alfarroba?

 

Também conhecida como “substituta do chocolate”, a alfarroba é o fruto da árvore Ceratonia siliqua (a alfarrobeira), e tem um sabor similar ao do cacau, porém naturalmente mais adocicado. Sua composição nutricional é pobre em gorduras saturadas, e diferentemente do cacau, não contém cafeína. Por isso, os produtos à base de alfarroba são uma boa alternativa ao chocolate tradicional, já que não demandam o uso de muito açúcar na sua fabricação.

 

 

Referências

 

Steinberg FM, Bearden MM, Keen CL. Cocoa and chocolate flavonoids: implications for cardiovascular health. J Am Diet Assoc. 2003;103(2):215-23.

 

Youssef MKE, El-Manfaloty MM, Ali HM. Assessment of Proximate Chemical Composition, Nutritional Status, Fatty Acid Composition and Phenolic Compounds of Carob (Ceratonia Siliqua L.) Food and Public Health 2013; 3(6): 304-8.

Please reload

Últimos posts

Raio-X do Alimento: Pinhão

July 1, 2020

1/10
Please reload

Tags