Alcohol, só para desinfetar...

28/02/2018

 

O carnaval já passou, mas os nossos calendários já estão marcando as futuras festas a fantasia, jantares, churrascos, almoços, shows e a diversão que 2018 promete. E é claro: quase sempre, tudo regado a bebidas alcóolicas.

 

Dificilmente conhecemos as peculiaridades envolvidas na produção, calorias, teor alcóolico e consequências das nossas bebidas. Esperamos explicar um pouquinho sobre o tema no texto de hoje. As bebidas alcóolicas podem ser separadas em fermentadas e destiladas, dependendo da sua forma de produção.

 

 

 Fermentados

 

A fermentação alcóolica é o nome que se dá ao processo em que o açúcar é transformado em etanol (álcool) por microorganismos. Historicamente, o processo de fermentação era (e algumas vezes ainda é) feito em barris de madeira. A madeira era utilizada porque as leveduras se alojam nos buraquinhos do material, promovendo e acelerando a fermentação das frutas, verduras e vegetais. Assim, o sabor dessas bebidas dependem da madeira utilizada para a confecção do barril. São bebidas fermentadas: o vinho, a cerveja, cidra e o saquê.

 

 

 

Destilados

 

A destilação é o processo de separação de 2 ou mais substâncias líquidas. Nesse caso, o aquecimento da bebida fermentada (de grãos, verduras ou frutas) faz com que o etanol evapore mais rapidamente que os demais compostos da fermentação, sendo em seguida condensado (resfriado) para voltar à sua forma líquida.

 

 

 

As bebidas destiladas são mais fortes (têm mais álcool) do que as bebidas fermentadas, uma vez que o etanol é separado do produto fermentado (álcool, água, frutas/verduras/vegetais). São bebidas destiladas: a cachaça (bebida criada no Brasil), a vodka, a tequila, o rum e o whisky.

 

 

Teor alcoólico de uma bebida e calorias

 

O teor alcoólico de uma bebida é dado tanto em % quanto em graus Gay-Lussac, que expressa a quantidade de álcool absoluto para cada 100 ml da bebida. Assim, um vinho que tem 9,6 graus G.L tem 9,6 ml de etanol em 100 ml da bebida.

 

Abaixo, listamos algumas bebidas e seus teores alcoólicos aproximados. Também inserimos as kilocalorias aproximadas de cada drink, não que estejamos muito preocupados com isso. Os destilados são quase sempre mais calóricos, uma vez que 1 g de etanol puro tem cerca de 7 kcal e estas bebidas têm maior teor alcoólico do que as fermentadas. No entanto, lembrem-se que as kcal referidas são a cada 100 ml, o que equivale, por exemplo, a 2 doses de vodka.

 

 Quando o álcool pode virar um problema

 

O etanol age no sistema nervoso central promovendo, inicialmente, desinibição e euforia. Os efeitos do uso do álcool são similares ao uso de outras drogas tranquilizadoras, como o diazepam (também conhecido como Valium) e o alprazolam (Xanax). Além disso, o uso de bebidas alcoólicas foi associado à felicidade em estudo recente realizado no Reino Unido, envolvendo aproximadamente 31.000 indivíduos (Geiger & MacKerron, 2016). São por essas razões que o alcoolismo afeta 12,3% da população brasileira, o que corresponde a 5.799.005 pessoas. Além disso, é importante lembrar que o consumo exagerado de álcool se associa a graves consequências metabólicas, como problemas respiratórios, hipertrigliceridemia, doenças cardiovasculares, esteatose hepática, intolerância à glicose, entre outros.

 

 

Portanto, você deve se atentar quando o consumo de bebidas alcoólicas...

 

Segundo a American Psychiatric Association, os comportamentos abaixos são considerados de risco e são critérios diagnósticos do alcoolismo:

  • Ingestão alcoólica recorrente a ponto de falhar no comprimento de obrigações.

  • Ingestão alcoólica em situações perigosas.

  • Continuar ingerindo bebidas alcoólicas mesmo após problemas sociais e pessoais por conta do álcool.

  • Evidência de tolerância a bebidas alcóolicas.

  • Evidência de abstinência ou uso de álcool para aliviar os efeitos da abstinência.

  • Ingerir mais bebidas ou por períodos maiores do que o inicialmente planejado.

  • Desejo persistente ou falha nas tentativas de parar de beber.

  • Gastar grande quantidade de tempo para obter, usar ou se recuperar do uso do álcool.

  • Reduzir tempo de outras atividades em decorrência da ingestão de bebidas alcoólicas.

  • Ingestão de álcool continuada após saber dos danos físicos e psicossociais causados pela bebida alcóolica.

  • Sentir a necessidade de ingerir bebidas alcoólicas.

Sendo assim, aproveitem com moderação!

 

 

Referências

 

American Psychiatric Association. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM–5). Disponível em: https://www.psychiatry.org/psychiatrists/practice/dsm

 

Bunout D. Nutritional and metabolic effects of alcoholism: their relationship with alcoholic liver disease.  Nutrition. 1999;15(7-8):583-9.

 

Centro de Informação sobre saúde e álcool (CISA). Dados Epidemiológicos sobre o Uso de Álcool no Brasil. Disponível em: http://www.cisa.org.br/artigo/353/dados-epidemiologicos-sobre-uso-alcool-no.php

 

Geiger BB, MacKerron G. Can alcohol make you happy? A subjective wellbeing approach. Soc Sci Med. 2016;156:184-91.

 

 

 

 

Please reload

Últimos posts

Saudades de um pão de queijo

September 23, 2020

1/10
Please reload

Tags
Please reload

Posts relacionados
Please reload

Comentários
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.