Diabetes gestacional: dicas para quem planeja engravidar


Alguns fatores de risco para diabetes gestacional

  • Sobrepeso ou obesidade

  • Ganho de peso excessivo no início da gestação

  • Concentração de gordura na parte central do corpo

  • Idade materna avançada

  • Síndrome dos ovários policísticos

  • Baixa estatura

  • História familiar de diabetes

Muitos fatores de risco para o diabetes gestacional não são possíveis de serem evitados, como a história familiar de diabetes e a estatura. No entanto, é possível intervir em outros fatores. Primeiramente, o ideal é planejar a gestação. Assim, é possível engravidar na faixa de peso correta, alimentando-se de forma saudável e praticando atividade física de forma regular. Deve-se atentar também ao ganho excessivo de peso no início da gestação. Levando em consideração o cálculo do índice de massa corporal (IMC) antes da gestação:


Durante o parto


Mãe

  • Controle da glicemia é feito a cada hora.

  • A glicemia deverá estar entre 70 e 140 mg/dl.

  • É possível que deva ser empregado o uso intravenoso de glicose para controlar a glicemia.


Bebê

  • Procurar hospitais com unidade de terapia intensiva, caso seja necessário.

  • O bebê deverá ser amamentado imediatamente após o nascimento, até 30 minutos depois do parto.

  • Depois, deverá ser amamentado de 2 a 4 horas, até que as concentrações de glicose no sangue do bebê se mantenha em, pelo menos, 40 mg/dl. Caso o bebê esteja dormindo, acorde-o para amamentar.

  • Caso a glicemia não atinja 40 mg/dl em duas medidas consecutivas ou se o bebê apresentar sinais de hipoglicemia (resposta baixa aos reflexos e sinais de fraqueza), é possível que a equipe médica precise intervir com glicose intravenosa.


Lembrem-se de que o diagnóstico de diabetes gestacional não é suficiente para decidir pelo parto do tipo cesariana. A gestação pode ser uma excelente oportunidade para começar a fazer mudanças positivas e duradouras na alimentação!


*** Esse artigo foi inspirado pela minha irmã que desenvolveu diabetes durante a gestação. Espero que outras mulheres que tenham recebido esse mesmo diagnóstico disponham das informações necessárias para manejar a doença de uma forma tranquila. ***


Referências


ADA Guidelines Diabetes in Pregnancy GDM | NDEI.<http://www.ndei.org/ADA-diabetes-management-guidelines-diabetes-in-pregnancy-GDM.aspx.html>, acesso em 06 de junho de 2017.


Anon. Hyperglycemia and Adverse Pregnancy Outcome (HAPO) Study: associations with neonatal anthropometrics. Diabetes 2009; 58:453–9.


Bush NC, Chandler-Laney PC, Rouse DJ, Granger WM, Oster RA, Gower BA. Higher maternal gestational glucose concentration is associated with lower offspring insulin sensitivity and altered beta-cell function. J ClinEndocrinolMetab 2011; 96:E803-9.


Carmichael S, Abrams B, Selvin S. The pattern of maternal weight gain in women with good pregnancy outcomes. Am J Public Health 1997; 87:1984–8.


Coustan DR, Lowe LP, Metzger BE, Dyer AR. The Hyperglycemia and Adverse Pregnancy Outcome (HAPO) study: paving the way for new diagnostic criteria for gestational diabetes mellitus. Am J ObstetGynecol 2010; 202:654.e1-654.e6.


Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) <http://www.diabetes.org.br/profissionais/images/docs/DIRETRIZES-SBD-2015-2016.pdf>, acesso em 06 de junho de 2017.


Organização Mundial da Saúde (OMS). Disponível em: <http://www.who.int/diabetes/publications/Hyperglycaemia_In_Pregnancy/en/>. Acesso em 06 de junho de 2017.


Weight Gain During Pregnancy: Reexamining the Guidelines [2009] - PubMed - NCBI.

Últimos posts
Tags
Posts relacionados
Comentários
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2020 por NutS - Nutrition Science. Todos os direitos reservados.